terça-feira, 19 de maio de 2009

Seu olhar

Da nossa pequena varanda a visão também não é das maiores ou melhores, Theo. Na frente, dá até para tomar conta do filhos dos vizinhos, de tão perto que é. Do lado esquerdo, uma fresta entre um prédio e outro mostra... outros prédios. E na direita aparecem duas árvores, um poste colorido enorme do posto Peter Pan e a nervosa EPTG. Bom, parte dela. Daqui é possível ver o trânsito, o congestionamento e dizer se vale a pena alguém visitar a gente ou se a gente pode sair de carro.

Você gosta da nossa varanda. Da visão, ainda não dá para dizer. Afinal, todas as vezes que sua mãe quer te acalmar, ela te leva lá. Uma brisa leve e a claridade fazem você fechar os olhos e adormecer bem mais rápido. Talvez esses momentos já comecem a criar uma memória sua. Pensamentos que te acompanham durante o sono. Ou lembranças que fazem você sorrir. E gargalhar. Ninguém acredita muito porque só eu e sua mãe já vimos. Não é que você faça barulho de gargalhada, mas faz uns sons engraçados, abre sua boca banguela e se sacoleja todo.

Talvez seus olhares profundos para mim e para sua mãe também te acompanhem durante seus sonhos e quando você fica mirando pro nada, perdido nos seus pensamentos de bebê. Quando você está bem calminho ou enquanto a gente te dá a mamadeira, você fica com aqueles olhinhos vidrados, como se me enxergasse o coração. E a gente fica ali, minutos, um encarando o outro, como se fosse um só organismo, como se soubesse que eu também me alimento disso. Seus olhinhos que ainda não se definiram de que cor serão também me acompanham durante meus sonhos. E pode perguntar para sua mãe, ela terá a mesma opinião: como a gente conseguiu viver sem seu olhar durante tanto tempo?

9 comentários:

Fernanda disse...

Ai q lindo! É verdade =)
Nossa to brega na foto hein? hehehehe
AMO VCS

Anônimo disse...

Lindo texto. Saudades! Beijos, Dindinha Carol.

Anônimo disse...

Ai, to morrendo de chorar.. É tudo tão lindo, tão belo... Deus abençoe o seu dom, chefe!!! Theo vai crescer e sentir orgulho do amor de vocês dois por ele. Beijão, Naira.

Felipe Campbell disse...

Que texto mais gay!!!

Leo disse...

Vai arranjar um filho pra você trocar fralda, rapá. Aliás, meu próximo texto será sobre cocô, em sua homenagem, eh, eh, eh...

Titi disse...

Engraçado como parece que todos os pais sentem a mesma coisa. Outro dia a Graça e eu estávamos dizendo: como é que vivíamos antes sem ver o sorriso do Eduardo, sem ouvir suas tentativas de falar ou sem vê-lo pela casa toda engatinhando ou andando apoiado nas paredes e móveis?

Felipe Campbell disse...

Você é meu mestre!!! hahahahaa...

Alma Desarmada disse...

Oiiii... vim atualizar aqui meus comentários... Ando falando mais com sua esposa pelo orkut...

Ter o Theo em casa parece tá sendo maravilhoso né?

Eu sei bem como é isso... rsrsr

Apesar de consumir um tempo enorme da gente esses pequenos são a grande razão da gente existir e como se derepente a vida sem eles não tivesse sentido algum não é verdade? rsrsr

bjus

Nandinha...

Quito Rossi disse...

Papai piegas, quando você estiver na varanda e perceber que o trânsito na EPTG tá legal, liga pra avisar que eu e a Paula iremos fazer a visita que estamos devendo. Abração e tudo de bom!